Diálogos entre o vento e o mar | Concerto Desenhado – Experimenta Portugal | Orquestra Sinfónica Jazz + Maestro João Mauricio Galindo + JAS |  Memorial da America Latina [São Paulo, Brasil]  Dia 22 de junho pelas 21horas Concepção – João Alexandrino aka JAS Direção Artística – João Alexandrino aka JAS & Manuela Pimentel Desenho em tempo real – JAS Direção Musical – João Mauricio Galindo Música ao vivo – Orquestra Jazz Sinfónica  O Experimenta Portugal ’18, iniciativa do Consulado Geral de Portugal em São Paulo para promover o intercâmbio entre Brasil e Portugal no âmbito da arte, sociedade e cultura. É um espetáculo que reúne um repertório da Orquestra sinfônica de Jazz de São Paulo, temas populares brasileiros adaptados ao Jazz como Tom Jobim entre outros! A ideia é criar um sincronismo entre as formas desenhadas e as formas que a música  nos proporciona. Criamos uma simbiose de vibrações, visuais como musicais que  aproximam  o público  para uma experiência única de compreensão musical. Este espectáculo habita dentro de um universo plástico que ilustra em tempo real temas incríveis como Milagre dos Peixes de Milton Nascimento, Jobimniana, tema este adaptado pelo Maestro Cildo Pereira que cria uma montagem sinfónica com diversos temas de Tom Jobim, Chovendo na Roseira entre outros. Os desenhos que […] Read More
Again and again, the musicians of the NDR Bigband meet up for musical dialogues. This time with JAS, the sand painter, and Antonio Jorge Gonçalves – he paints with his laptop. Their ever-changing images communicate with the musicians on stage. NDR Bigband, management and composition: Geir Lysne (Norwegen) live paintings: JAS & Antonio Jorge Gonçalves (Portugal) Read More
Quinta 18 de janeiro, 14h30; sexta 19 de janeiro, 10h30 e 14h30; segunda 22 de janeiro, 10h30 Pequeno Auditório Duração: 45 min. 2,50€ (sem descontos) Lotação: 132 lugares Informações e horários para famílias Informações e Reservas Serviço Educativo 21 761 90 78 ( 9h30 – 11h30 e 16h – 17h) culturgest.servicoeducativo@cgd.pt Direção e conceção Pedro de Moura Estórias Saguenail Composição Pedro de Moura Encenação Pedro de Moura e Carla Galvão Desenho em tempo real  JAS Produção Trupe dos Bichos Coprodução Fábrica das Artes / CCB Atrás de nós antes de nós dentro de nós ao nosso lado está sempre um presente aparente e um passado complicado. Mas afinal no reino das narrativas a árvore esconde a floresta ou a floresta esconde a árvore? Nas três histórias de DA BOCA PARA AS MÃOS serão convocadas personagens que se descobrem e se alteram sem contudo se exibirem e ADULTerarem. São personagens por aprenderem a sê-lo ouvindo-se e vendo-se com outros olhos. Na verdade, todas elas são crianças e enfrentam problemas de crescimento… Os fios das meadas de Saguenail que escreve, são tecidos pela voz de Carla Galvão que narra, desdobram-se em paisagem com as imagens fabricadas ao vivo por JAS e com a música […] Read More
Translater • Serigrafia: Ed. 75 exemplares • 6 cores, 50x70cm, papel Fabriano 300g/m2 branco. Read More
JÁ DISPONÍVEIS!!!! Under the Sky • JAS Serigrafia: Ed. 60, 12 cores, 50x69cm, papel Fabriano 300g/m2 branco. Read More
NA CAMA COM O INIMIGO Os casais mais sólidos assentam numa complementaridade que corresponde a uma desigualdade à partida impossível de colmatar – Holmes e Watson, ou as suas caricaturas crísticas Poirot e Hastings, são o protótipo dessa relação – em que um deles serve para realçar o outro. Em caso de igualdade na nulidade, a complementaridade reduzir-se-á a uma pura redundância – Dupont e Dupond. Raros são, no fim de contas, os casais em que cada um dos parceiros tem suficiente força e personalidade para prosseguir a sua obra original sem deixar de amparar o outro – ainda mais raros aqueles que conseguem trabalhar a quatro mãos até o contributo de cada um deixar de ser distintamente perceptível: no cinema, por vezes irmãos, Taviani ou Coen, excepcionalmente um casal Straub-Huillet –, Mary e Percy Shelley ou Sartre e Beauvoir são casos suficientemente singulares para a história reter os seus nomes. É preciso que haja simultaneamente uma diferença e uma concordância iniciais que permitirão percorrer lado a lado caminhos paralelos. E também, já que se trata de criar, um longo sofrimento acumulado a sublimar. A Manuela trouxe porventura ao JAS a dimensão manual e artesanal, a paciência, a atenção ao […] Read More
“The Sand never falls on the same place” 5 > 6 May 2017 Along with the Portuguese artist JAS the Stavanger Symphony Orchestra and their conductor will take you on a magical journey full of music and images created by JAS. for more informations click here Read More
PORTRAITS  GENERATION – GREGOS E TROIANOS 12 abril > 13 maio | 3 Punts Galería [Barcelona]   Um homem se propõe a tarefa de desenhar o mundo. Ao longo dos anos, povoa um espaço com imagens de províncias, de reinos, de moradas, de instrumentos, de astros, de cavalos e de pessoas. Pouco antes de morrer, descobre que esse paciente labirinto de linhas traça a imagem de seu rosto. Jorge Luis Borges, El hacedor   JAS quer jogar em todos os campos. Figuração e abstracção, simbolismo e gratuidade, traços e manchas, rascunho e assinatura, inacabamento e exposição, técnica e espontaneidade, memória histórica e contemporaneidade. As telas de JAS são povoadas. Todavia as figuras só têm valor de sinais. Eminentemente simbólicas, a sua significação permanece – faz questão de permanecer – indecifrável. Os sinais neste caso remetem apenas para o arbitrário taumatúrgico do pintor. Os motivos são em número reduzido e repetem-se de tela para tela. Não referem nenhuma realidade externa, nenhuma mitologia reconhecível; unicamente, por alusão mais do que por citação, a uma história da pintura. O alcance dessas figuras não deve transbordar das telas. Há nelas animais, principalmente pássaros e peixes, por vezes cães que talvez sejam lobos, e serpentes. […] Read More
White Body | Corpo Branco – JAS Serigrafia: Ed. 60, 10 cores, 48x64cm, papel Fabriano 300g/m2 branco. Read More